Nesta quarentena, tenho descoberto o que realmente me faz bem. É um dia de aprendizado atrás do outro. Além de apostar nos óleos essenciais para manter a calma e baixar a ansiedade, estou lendo bastante sobre respiração.

Você já observou como você respira? Rápido? Devagar? Profundamente? A minha respiração geralmente é curta, mas estou tentando mudar isso. Decidi seguir algumas dicas do Kurma Spa, espaço integrado de beleza, saúde e bem-estar. Ele preparou um um passo a passo de como voltar a respirar corretamente e aproveitar todos os benefícios que essa mudança de hábito proporciona.

Um dos combustíveis do corpo humano é o oxigênio. Essa oxigenação do organismo é feita majoritariamente pela respiração, por isso, sua importância. Todos nascem sabendo respirar, mas ao longo da vida, desaprendemos a forma correta de oxigenar o corpo. “Se você observar um bebezinho respirando, é possível perceber o abdômen e o diafragma inflando. Enquanto nós adultos respiramos com a parte superior torácica,” explica Dani Cruz, terapeuta corporal do Kurma Spa.

Dani conta que essa respiração ‘errada’ se caracteriza por ser curta, rápida e que, muitas vezes, eleva o ombro – podendo criar tensão nessa região. E que além de não ser profunda, também não utiliza a região abdominal e diafragmática, que seria o mais aconselhável segundo ela.

“A respiração é o elo entre o nosso corpo e a nossa mente e através dela nós podemos influenciar pensamentos, sentimentos, e até mesmo os processos fisiológicos do nosso corpo, como o sono, a digestão e até os batimentos cardíacos.”

Além desses benefícios, também é possível aumentar a capacidade respiratória; promover um relaxamento muscular e sensação de bem-estar; regular a pressão arterial; e contribuir para o alívio da ansiedade e estresse. “O ideal é fazer uma respiração completa, profunda, diafragmática e abdominal, para que se possa utilizar toda a capacidade pulmonar.”

Respirar corretamente ajuda a diminuir a ansiedade e o estresse
Respirar corretamente ajuda a diminuir a ansiedade e o estresse

Como analisar a sua respiração

Para analisar a sua respiração, a terapeuta aconselha deitar confortavelmente em uma superfície que permita ficar em uma posição reta e de barriga para cima. Em seguida, você deve colocar uma das mãos na altura do peito e a outra na região abdominal, respirando naturalmente por alguns segundos. “E aí você vai perceber onde está localizada a sua respiração. Se está muito curta e na parte superior, ou se está no diafragma ou no abdômen.”

Guia para respirar corretamente

1.Respiração baixa

A reeducação respiratória começa pelo exercício da respiração baixa, explica a terapeuta. Sempre deitando o mais reto possível, de uma forma agradável e com a barriga para cima, comece apoiando as mãos na região do baixo ventre. “Expire e esvazie todo o pulmão. Em seguida, inspire pelas narinas, expandindo a parte baixa do abdômen. Retenha o ar por alguns segundos e solte-o completamente. Repita algumas vezes até executar a respiração baixa naturalmente e de maneira confortável,” orienta Dani.         

2.Respiração média

A segunda etapa é a respiração média. Coloque as mãos sobre as costelas, de modo que os dedos médios se toquem sutilmente. Inspire profundamente, expandindo a caixa torácica para as laterais até os dedos médios se afastarem. Mantenha o ar preso por alguns segundos e expire, soltando todo o ar. “Faça esse ciclo lento e profundo, seguidas vezes.”

3.Respiração alta

A respiração alta é o próximo passo. A terapeuta pede para colocar as mãos na parte superior do tórax apoiando os dedos nas clavículas. E, na inspiração, trazer o ar para a região mais alta do peito. “Faça uma imagem mental dos seus pulmões como se fossem dois triângulos e traga o ar para a ponta de cima dos triângulos.” Contenha por alguns segundos e solte completamente o ar. Execute o exercício completo inspirando e expirando lentamente, recomenda. 

4.Respiração completa

Para finalizar, é importante fazer todos os estágios juntos, usando o que foi aprendido. “Primeiramente nós vamos esvaziar completamente os pulmões e fazer uma inspiração que vai durar de quatro a seis segundos. Lentamente e pelo nariz, inflando primeiro o abdômen. Depois, abrindo as costelas para as laterais e levando o ar até a parte superior, para o ápice do tórax.” Retenha a inspiração por alguns segundos e depois simplesmente deixe o ar sair.

“Execute os três exercícios o mais lento possível, até impor um ritmo”, recomenda a terapeuta. Ela também aconselha expirar no dobro do tempo da inspiração, ou seja, soltar o ar de uma forma bem mais lenta do que o tempo gasto na respiração. “Por exemplo, inspire em quatro tempos, retenha o ar por alguns segundos, solte o ar em oito tempos.”

Essa contagem mental ajuda no treinamento da capacidade pulmonar, que vai aumentando assim como o ritmo de soltura do ar vai ficando mais gradual. “Pode fazer durante o dia, quantas vezes tiver vontade e, quanto mais fizer, mais benefícios terá” finaliza.

Processando…
Sucesso! Você está na lista.
Anúncios